5 de julho de 2024

|

Por: Apelmat

|

Tags: manutenção

|

Categorias: destaques, Manutenção

MegaSold inaugura oficina em São Paulo 

A história de Marcos Lopes, fundador e líder da MegaSold, é marcada por uma trajetória iniciada como aprendiz na empresa da sua família de mecânica e manutenção de equipamentos aos 11 anos de idade, ainda na cidade de Ubiratã (PR), onde morava. A jornada de empreendedor, no entanto, começou aos 18 anos quando ele se mudou para São Paulo e rapidamente envolveu-se com o mercado de máquinas de linha amarela, especializando-se em manutenção corretiva e preventiva de maquinas e caminhões.

Hoje, o salto mais recente da MegaSold é a inauguração de sua oficina na Zona Leste da capital paulista, onde centraliza algumas de suas atividades, com foco principalmente em atender locadores de equipamentos para terraplenagem. A especialização veio do conhecimento prático e teórico por meio de cursos em mecânica e caldeiraria adaptadas às demandas do segmento de locação. 

Inicialmente trabalhando de forma itinerante, nas instalações dos clientes ou em campo, o especialista foi desafiado por um deles a resolver problemas recorrentes de quebras de equipamentos em obras de terraplenagem e pavimentação, o que eventualmente o levou a estabelecer parcerias estratégicas, especializando-se na manutenção preventiva e corretiva de caminhões e máquinas pesadas. De acordo com ele, a habilidade em diagnosticar e resolver rapidamente problemas mecânicos, hidráulicos e elétricos tornou-se um diferencial.

“O escopo de serviços aumentou e precisávamos de um espaço para atender serviços, venda e manutenção de material rodante e ações de preventiva e corretiva de caminhões pesados, além de intervenções pontuais”, explica Lopes. 

O conhecimento especializado também levou a empresa a desenvolver soluções inovadoras, como adaptar garfos de empilhadeira a retroescavadeiras para atender às exigências específicas dos clientes, agregando valor a locação do equipamento com o implemento extra.

“Adaptamos um garfo de empilhadeiras nas retroescavadeiras e isso tem funcionado muito bem em campo”, diz Lopes. Outra solução é a proteção de cabines das máquinas a partir da instalação de gaiolas adaptadas, uma especialização de caldeiraria e soldagem dominadas pela MegaSold e que trazem segurança operacional para os operadores de máquinas. 

O especialista já tinha levado para campo a metodologia de inspeções preventivas, com histórico de informações dos equipamentos e também com a atividade de check list dos principais componentes. Somente essas ações básicas, segundo ele, reduzem grande parte das intervenções corretivas e aumentam a eficiência operacional das máquinas em campo. 

A checagem permite identificar situações comuns como caminhão rodando sem óleo no diferencial ou escavadeiras operando com fluído fora de prazo, o que causa desgaste no pistão da máquina. Outro problema recorrente são máquinas com as conchas com folga nos pinos. 

Diagnóstico para manutenção na MegaSold

Na avaliação de Lopes, a manutenção preventiva é sempre a melhor opção no caso dos caminhões usados em serviços de terraplanagem, pois são equipamentos que operam em condições pesadas. O principal ofensor é o biodiesel, que leva a muitos problemas na bomba e nos bicos de alimentação, contaminando os componentes e exigindo uma troca de filtro. Isso acontece porque esse tipo de combustível tem menos enxofre, elemento químico que aumenta a lubrificação. 

“Infelizmente, não há um check list em muitas operações, indicando com quantas horas foi feita a troca, por exemplo, de insumos como o óleo de motor, o que leva às paradas não programadas e perda de eficiência operacional”, resume Lopes.

De acordo com o especialista, o acompanhamento documentado do estado de caminhões e de máquinas como escavadeiras e tratores mostra ganhos reais, evitando falhas comuns como o estouro de mangueiras ou problemas em correias. Um exemplo banal, mas ilustrativo envolve o coxim do alternador, um componente de borracha que custa cerca de R$ 8. 

Usado para reduzir a vibração do alternador, essa peça se desgasta por causas naturais ou por contaminação do óleo. Se estiver desalinhado, o coxim corre o risco de estourar, levando à quebra da correia do motor e à quebra das hélices que, por sua vez, furam o radiador do equipamento. Resultado: somente a reposição da hélice pode custar R$ 1,7 mil, fora a mão de obra.

“O diagnóstico praticamente não muda de máquina para máquina ou se está sendo feito em campo ou na nossa oficina”, explica Lopes. “Seguimos procedimentos padrão para se chegar ao defeito e se ele é resultado de algum tipo de problema causado por outra peça”, complementa. A visão integrada da MegaSold, incluindo desde a análise de embuchamento até avaliação de soldagens, explica o sucesso da empresa em atender vários locadores da área de terraplenagem. 

Mesmo a eletrônica embarcada não é um desafio para os especialistas. Na linha amarela, as incidências de emergências nas partes elétrica e hidráulica são relativamente comuns e muitas vezes menos complexas do que se imagina. O diferencial dos técnicos que entendem do assunto é não indicar, por exemplo, a troca de um módulo completo quando o problema envolve apenas a substituição de um fusível. 

Com foco em manter a excelência operacional de seus clientes, a MegaSold continua a expandir suas fronteiras no setor de manutenção de equipamentos pesados, o que acontece com na nova oficina. “A linha amarela é mais carente de mão de obra especializada e acredito que nossa demanda deve aumentar com a instalação nova. No caso de caminhões, geralmente o atendimento é de empresas mais próximas, o que é comum no mercado”, finaliza.