Apelmat

Associação Paulista dos Empreiteiros e Locadores de Máquinas de Terraplenagem, Ar Comprimido, Hidráulico e Equipamentos de Construção Civil.

Endereço: Rua Martinho de Campos, 410 - Vila Anastácio - São Paulo - SP - 05093-050

Telefone: (11) 3722-5022

Whatsapp: (11) 9-3339-8386

Redes Sociais

Assine nossa newsletter

Copyright 2020 | Apelmat

BNDES prevê investimentos de R$ 1 trilhão em setores produtivos no país em quatro anos


Os investimentos mapeados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para os setores de indústria e infraestrutura no período de 2018 a 2021 atingem R$ 1,030 trilhão, com média anual em torno de R$ 258 bilhões.


O crescimento real estimado, isto é, descontada a inflação, é de 1,9% ao ano no quadriênio. Essa é a segunda vez que os investimentos mapeados pelo banco ultrapassam a casa do trilhão de reais. A primeira foi identificada para o período de 2015 a 2018. O estudo Perspectivas do Investimento, divulgado nesta terça-feira (11/09) pelo BNDES, mostra melhoria em comparação ao documento anterior, feito para o período de 2017 a 2020, que apontava queda média de 3,1% ao ano para os investimentos. Os dados envolvem projetos apoiados ou não pelo banco.


A melhora na perspectiva de investimentos em relação ao mapeamento anterior, feito no segundo semestre do ano passado, decorre de três fatores, segundo o BNDES.


São eles: aumento dos preços internacionais das ‘commodities’ (produtos agrícolas e minerais comercializados no mercado externo); recuperação da demanda interna; e políticas públicas e programas de concessão de serviços públicos.


De acordo com o estudo, a redução das incertezas referentes à economia e ao cenário político poderá potencializar a retomada do investimento entre 2018 e 2021. Para a indústria, estão previstos investimentos de R$ 539,9 bilhões, com média de expansão de 5,9% ao ano, enquanto infraestrutura deverá receber R$ 490,1 bilhões, taxa de retração média de 2% ao ano. A maior soma de investimentos previstos no quadriênio é encontrada nos setores de petróleo e gás (R$ 291,4 bilhões), aumento médio por ano de 9,4%; energia elétrica (R$ 160,3 bilhões e retração de 16,2% ao ano); e logística (R$ 156,3 bilhões, crescimento médio de 13,3% ao ano).


Fonte: Agência Brasil - EaeMáquinas


Postado em 17/09/2018

Em Destaque